20 Jan 2019

A pílula engorda?

Pedro Carvalho

É mesmo verdade que a pílula faz engordar?

O aumento de peso é um dos efeitos secundários mais relatados por mulheres que iniciam a toma da pílula e uma das principais razões para o seu abandono. Mas é importante saber que as doses das hormonas utilizadas hoje em dia são quase dez vezes mais baixas do que as que existiam nas primeiras versões que foram lançadas no mercado. Por isso, alguns mitos associados ao aumento de peso e outros efeitos secundários ainda se mantenham ao dia de hoje.

Todos os estudos científicos que investigam a relação entre a pílula e o peso concluem que não existe um efeito “engordante” na pílula. Ainda assim, do ponto de vista fisiológico existem alguns mecanismos que podem justificar um aumento de peso ligeiro e transitório com a pílula. Os estrogénios aumentam a retenção de sódio e água, promovendo assim uma maior “retenção de líquidos” e o peso a mais que pode sentir é no fundo água e não gordura.

Outra mudança que pode ocorrer é uma alteração das zonas de distribuição da gordura com um maior aumento na zona tricipital (parte de trás do braço, vulgarmente conhecida como o “músculo do adeus”), nas mamas e coxas.

Também no apetite, a pílula pode ter um efeito de acordo com as doses e hormonas utilizadas. Por um lado, os estrogénios até podem diminuir o apetite, mas a progesterona e testosterona podem ter o efeito oposto e serem mais “esfomeantes”. Aliás são estas flutuações que podem estar na origem do aumento do apetite e dos desejos por doces na fase pré-menstrual (onde os níveis de progesterona estão elevados).

Uma mensagem que é fundamental reter é que estas mudanças bruscas de peso estão sempre relacionadas com variações de fluidos corporais. É praticamente impossível ganhar 1 kg de massa gorda em 1-2 dias porque isso implicava ingerir mais 5000 a 7000 kcal do que as necessidades energéticas diárias (apenas atingível com uma ingestão totalmente desequilibrada e compulsiva nesses dias). Por isso, um aumento brusco de peso com o início da toma da pílula nunca pode ser atribuído única e exclusivamente à gordura corporal.

Concluindo, há que reconhecer que a pílula pode de facto não ajudar ao emagrecimento, mas poderá ter outras vantagens e a sua utilização deverá ser sempre ponderada e discutida com o seu médico. Independentemente da sua utilização ou não, os princípios básicos de alimentação saudável e do treino mantêm-se inalterados. Se sente que a pílula aumenta ligeiramente o peso ou apetite, mas não dispensa a importância da mesma, esta é apenas mais uma razão para ter atenção redobrada ao que come e ao que treina.

Pedro Carvalho Nutricionista

  • Filipa Silva

    Olá 🙂
    No meu caso a pílula teve um efeito muito grave no que roça ao aumento de peso, mas apenas numa fase inicial. Isto porque comecei a tomá-la aos 18 anos, idade em que também tirei a carta de condução e todos os percursos que fazia de bicicleta e a pé passei a fazê-los de carro. Assim que me apercebi que estava a ganhar demasiado peso comecei a praticar desporto mas a situação não se resolveu . Acabei por ir ao médico e explicar o sucedido. Mudei de pílula e esta, muito mais recente, acabou por não me trazer efeitos secundários . O apetite excessivo nos dias anteriores à menstruação existem mas já é algo que consigo lidar. Agora o excesso de peso é mesmo culpa minha e não dá pílula.
    Beijinhos

Leave a comment :)

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Claudia_Dinis

Please enter an Access Token on the Instagram Feed plugin Settings page.

go up Go up