17 Feb 2019

Para quem tenta emagrecer, não existem boas gorduras

Pedro Carvalho

Ponto prévio: Não é ideal nem saudável estar um ano inteiro a “tentar emagrecer”. Existem vários momentos ao longo do ano onde é desejável a nível hormonal e psicológico que o peso estagne ou até aumente um pouco (como nas férias de Verão ou Natal por exemplo). Nestes momentos, o objetivo é que exista o máximo de treino da força possível, para que estas calorias extra se capitalizem em massa muscular cumprindo a máxima: “se não der para emagrecer, ao menos que sirva para hipertrofiar”.

Dito isto, em fases de emagrecimento, o balanço calórico é tudo. Quanto mais calorias se pouparem, mais rapidamente se perderá massa gorda. E é neste ponto que entra a pertinência ou não das chamadas “boas gorduras”. Estamos a falar de alimentos ricos em gorduras principalmente mono e poliinsaturadas que possuem igualmente muitos outros nutrientes importantes como os ovos, frutos gordos (nozes, amêndoas, avelãs, cajú, etc.), sementes, abacate, azeite e até peixes gordos (salmão, truta e sardinha principalmente). É lógico que estes alimentos acima referidos são saudáveis e podem e devem ser incluídos num plano alimentar quando não há necessidade de cortar tantas calorias para emagrecer. Mesmo numa dieta cetogénica que se baseia num corte profundo de hidratos de carbono, a quantidade de gordura não deve ser muito elevada, pois o emagrecimento atinge-se porque se cortam calorias e não porque se cortam hidratos de carbono.

Num plano de emagrecimento não cetogénico, é sempre importante ter uma boa quantidade de proteína para preservação de massa muscular e é igualmente importante ter uma quantidade moderada de hidratos de carbono para não haver uma grande diminuição na performance do treino, na massa muscular e também para o apetite e as compulsões alimentares estarem controladas. Basta pensar na vontade que tem de terminar a refeição com um docinho depois de comer hidratos de carbono no prato ou apenas uma salada. Tendo sempre na cabeça que 100g de arroz/massa/batata cozinhados sem gordura possuem apenas 100 kcal e que 1 colher de sopa de azeite tem as mesmas calorias, é facilmente perceptível que quando fazemos legumes salteados, esparregado ou temperamos em demasia uma salada com azeite ou óleo, a refeição pode ficar muito calórica mesmo não tendo hidratos de carbono e aí temos o pior dos dois mundos: nem ficamos satisfeitos porque não há hidratos, nem emagrecemos porque a refeição tem muitas calorias na mesma!Por isso é mais importante controlar a quantidade de azeite do refogado do arroz ou que se adiciona a uma batata cozida ou a murro (já para não falar da batata assada ou frita), ou com que se salteia uma massa por exemplo.

Nas fases de inverno e consequente “crescimento muscular” (para quem treina a sério), há mais do que espaço para colocar as boas gorduras que atrás falamos, mas quando a palavra de ordem é emagrecer ou “secar”, não existem boas gorduras!

Pedro Carvalho

Leave a comment :)

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

go up Go up